Time de Itaquaquecetuba tem provado que não nasceu para ser um clube qualquer

O Aster Itaquá nasceu fazendo história e segue deixando sua marca na Copa São Paulo de Futebol Júnior. A equipe de Itaquaquecetuba fundada há menos de um ano prova, a cada jogo, que não nasceu para ser um clube qualquer. Com cinco vitórias e um empate, o Aster continua invicto na competição.

Após enfrentar o Sport, Santo André e Cruzeiro de Arapiraca na fase de grupos, além do Oeste no mata-mata, o clube repercutiu nas redes sociais e dominou os noticiários em todo o país por ter eliminado o Palmeiras, bicampeão da Copinha, na última segunda-feira (15). Com os olhos todos voltados para o time, na quarta (17) ainda venceu o Guaratinguetá de virada pelas oitavas de final.

Mas esse foi apenas um dos grandes feitos do clube fundado em março de 2023 e que tem uma base já consolidada. A ideia inicial do clube-empresa é formar novos atletas de alto rendimento, assim como o Aster Brasil, criado em 2019 no Espírito Santo e que também é gerido pelo Grupo Aster. 

Em Itaquá, a expectativa é trabalhar equipes das categorias sub-9 a sub-20 e gerar oportunidades aos jogadores da cidade. Como panorama do trabalho já realizado pelo Grupo Aster, na última janela de transferência da Europa, 23 atletas foram negociados, inclusive para clubes do exterior.

O início dos trabalhos na cidade também já se mostra promissor. Em dezembro, o Aster Itaquá disputou o primeiro torneio oficial e foi campeão invicto da Copa Ouro sub-20, torneio organizado pela Associação Paulista de Futebol (APF). Já na Copinha, a equipe foi anfitriã em cinco dos seis jogos, disputados no Estádio Municipal Ildeu Silvestre do Carmo, o Campo do Brasil, no Morro Branco.

Com grama sintética dentro dos padrões da FIFA e arquibancada com capacidade para aproximadamente 3,8 mil pessoas, o estádio virou ponto de encontro dos torcedores, que ocuparam todos os espaços da arquibancada durante os jogos. No duelo contra o Palmeiras, dez ônibus foram cheios para Barueri.

“A população entendeu rápido a grandeza do Aster Itaquá. Há muito tempo a cidade não era representada a nível estadual e é a primeira vez que o município é sede da Copa SP. Com isso, foi criada uma atmosfera, o sentimento de pertencimento e de amor à camisa. É um time que já está na história”, explicou o secretário de Esporte e Lazer, Fabiano Novais.

Se nas arquibancadas o clima é de empolgação e festa, cabe ao técnico Valter Santos equilibrar as emoções para manter os 32 jogadores concentrados entre o vestiário e as quatro linhas. Para o próximo confronto desta sexta-feira (19) pelas quartas de final contra o Flamengo, a expectativa é manter a calma e reforçar o psicológico dos atletas.

“Nosso maior objetivo é, além de conquistar títulos, dar oportunidade para os jovens de Itaquá, tirar as crianças das ruas e direcionar para o esporte. Vamos continuar investindo no futebol e em outras áreas para que tenhamos novos ídolos levando o nome de Itaquá para o mundo”, completou o prefeito Eduardo Boigues.