A Força Azul de Itaquaquecetuba e Guarda Ambiental, ambas da Guarda Civil Municipal (GCM), realizaram a soltura de oito pássaros silvestres, nesta quinta-feira (22), no bairro do Aracaré, após denúncias anônimas. As aves que estavam em gaiolas seriam comercializadas no mercado que alimenta o contrabando de animais silvestres. Cada uma seria vendida ao valor de, aproximadamente, R$ 5 mil a R$ 10 mil.

As espécies foram identificadas como duas Coleirinhas, dois Corrupiões, dois Galos de Campina e dois Trinca-ferros. Todos foram levados para o Parque Ecológico do Tietê, na capital paulista, para avaliação e readaptação para, enfim, fazer a soltura em habitat natural.

O secretário de Segurança Urbana, Anderson Caldeira, explica que a compra de animais silvestres pode acarretar em sérios danos ambientais, além de ser crime. “Nossa Força Azul por meio da Guarda Ambiental fechou o cerco para o crime do mercado que alimenta o contrabando de animais silvestres. As pessoas podem denunciar pelo 153”.

Vale ressaltar que, comete o crime quem não estiver com a licença das autoridades e também quem mantém em cativeiro os animais que estão previsto na lei de crimes ambientais para espécies nativas (9605/98, Lei de Crime Ambiental – Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais (ART. 32), caso preso, a pena varia de seis meses a um ano de detenção e multa.

Denúncias podem ser feitas pelo número da Força Azul, via 153 ou por meio da Ouvidoria, pelo número (11) 4753-1108.